25
jun
2015
Leitura com trilha sonora

Uma história fascinante, com um tema que adoramos, pelas mãos de uma renomada artista e pesquisadora brasileira: assim nasceu “Música Secreta – Minha Viagem ao Brasil”, livro lançado pela Arte Ensaio em 2009 e assinado por Rosana Lanzelotte, que segue atual e indispensável na biblioteca dos estudiosos de música clássica.

blog_musica_secreta_873

O ano era 1816. Em um Brasil sob forte influência da corte portuguesa, o ambiente musical era dominado por duas grandes referências, representadas principalmente pelas figuras do compositor Marcos Portugal – favorito dos portugueses –, e do Padre José Mauricio Nunes Garcia, célebre compositor de música sacra. Neste contexto, Sigismund Neukomm, cantor e compositor austríaco já aclamado na Europa, desembarca em terras brasileiras depois de aceitar um convite do Duque de Luxemburgo para acompanhá-lo ao Rio de Janeiro.

Contemporâneo de Beethoven e amigo de Chopin e Mendelssohn, Neukomm viveria no Brasil por cinco anos. Viajante incansável, antes de chegar à América, já havia deixado Viena para uma temporada na França. O que, segundo historiadores da música clássica, poderia explicar o fato de o compositor ser praticamente ignorado nas histórias da música na Áustria e na França, onde passou a maior parte de sua vida.

No Brasil, a injustiça pela ausência de um relato sobre sua relevante contribuição para a música no país à época, foi corrigida com a publicação da obra de Rosana Lanzelotte que, em 2003, iniciou um profundo estudo sobre o compositor. A pesquisa, que até hoje norteia muito do trabalho e Rosana, virou biografia romanceada, ao retratar não somente o rico histórico musical de Neukomm, mas também sua personalidade multifacetada.

“Música Secreta – Minha Viagem ao Brasil” traz ainda um CD com algumas das composições de Sigismund Neukomm, interpretadas pela própria Rosana no piano forte, com a companhia de Ricardo Kanji na flauta. A trilha sonora é o acompanhamento perfeito para a narrativa em primeira pessoa, que combina fatos reais e imaginários, proporcionando uma leitura leve e que certamente agrada aos amantes de boa música.